Best-sellers da pandemia.


Livros que ajudam a nos conhecermos melhor e entendermos o mundo atual.
Durante a pandemia, muita gente tentou colocar a leitura em dia. E o que chamou a atenção foi que os livros mais vendidos do ano tratam principalmente dos seguintes assuntos: autoconhecimento, mudanças de hábitos e temas relevantes da sociedade atual. Uma prova literal de que estamos buscando rever a forma como pensamos e nos comportamos para, quem sabe, conseguirmos evoluir juntos e construir uma sociedade melhor.

Algumas dicas do perfil @6segundos:

Pequeno manual antirracista de Djamila Ribeiro.
Ideias para adiar o fim do mundo de Ailton Krenak.
Como as democracias morrem de Steven Levitsky e Daniel Ziblatt.
O poder do subconsciente de Joseph Murphy.
Mindset: a nova psicologia do sucesso de Carol Dweck.
As coisas que você só vê quando desacelera de Haemin Sunim.
Essencialismo – A disciplinada busca por menos, de Greg Mckeown.
A coragem de ser imperfeito, de Brené Brown.
O caminho do artista, de Julia Cameron. Arrume a sua cama, do almirante William McRaven.

E você? Quais foram os últimos livros que chamaram a sua atenção?
#WeAreLive #WeArePromovisão #LiveMarketing

Saudade dos eventos

Foto: APAS Next 2019

Por: Fabrícia Botelho – COO Promovisão

Nosso time está em home office desde 16/3. Temos trabalhado remotamente atendendo alguns clientes em demandas de comunicação e estamos fazendo muitos estudos sobre como serão os eventos e as ações de live marketing no futuro.

Estamos realizando eventos on-line com clientes e parceiros e entendendo que muitos eventos serão híbridos em breve.

Mas não dá para negar que os eventos presenciais, de ponta a ponta, deixam saudades. A satisfação de apresentar um planejamento bacana para o cliente e notar as reações durante a apresentação é única. Ao longo de todo o processo, equipes de planejamento, criação, produção e áreas de suporte da agência se juntam para, em conjunto com os clientes, fazerem o planejado evento ganhar vida.

O envolvimento das pessoas. Tantos profissionais engajados na preparação, como atendimentos, redatores, diretores de arte, arte-finalistas, revisores, produtores de conteúdo, arquitetos, cenógrafos. E os produtores. Que saudade dos produtores em ação! É tanta gente competente que faz um evento acontecer!

Nesta pandemia, muitas profissões foram afetadas, mas profissionais que atuam na área de eventos, tanto dentro das agências como em campo, estão entre os mais afetados.

E os mais afetados foram os profissionais freelancers.

E estes produtores tão competentes e incansáveis, quando se trata de fazer uma execução bem-feita, estão hoje aflitos, pois perderam suas rendas neste processo e estão sem perspectiva de voltar a trabalhar. Na semana passada, o Governo de São Paulo divulgou a expectativa de liberação para realização de eventos para 12 de outubro, ou seja, até lá, ainda teremos três meses.

Enquanto isso, precisamos, como agências e profissionais do setor, tentar criar projetos que promovam o retorno o mais rápido possível e apoiar as causas que estão ajudando os profissionais freelancers a se manterem (minimamente) durante esta pandemia.

Alguns projetos foram criados para apoiarem profissionais de eventos, como o SOS Mundo dos Eventos, idealizado por Leo Rizzo, fundador da Rizz Soluções, Débora Lima, fundadora da DS Eventos, e Malu Alonso, produtora do Bloco Casa Comigo. A plataforma está conectando os profissionais que precisam de ajuda com empresas e pessoas que querem e podem ajudar.

Ajude um freela, projeto que busca doação de alimentação (cestas básicas), compra de produtos de higiene pessoal e do lar, medicamentos, orientação sobre pagamento de contas básicas e apoio psicológico e jurídico.

Além de nos mantermos seguros, precisamos ser solidários até que os eventos possam voltar a acontecer com segurança e as empresas voltem a investir nesta importante ferramenta de marketing.

https://www.sosmundodoseventos.com.br/

https://ajude1freela.com.br/

PROMOVISÃO E APAS. Uma parceria de sucesso há 26 anos.

PROMOVISÃO E APAS. Uma parceria de sucesso há 26 anos.

Reconhecida por ser a maior feira supermercadista do mundo, a APAS Show 2018 aconteceu entre os dias 7 e 10 de maio. Na edição deste ano, a feira abordou como tema Nós Amamos Supermercado.

Com base em pesquisas de tendência, a feira traz, a cada ano, um tema diferente e relevante para o momento de mercado e, principalmente, que esteja alinhado ao interesse de todo o ecossistema supermercadista. Além disso, a curadoria de conteúdo do Congresso é realizada para que o tema possa ser amplamente discutido tanto no grande auditório, quanto em auditórios temáticos.

Corte da fita inaugural

Solenidade de Abertura

Acompanhe abaixo alguns números sobre esse megaevento:

– resultado de 18 meses de muito trabalho, cuidado e dedicação de toda a equipe

centenas de pessoas envolvidas com todas as etapas do evento: atendimento, planejamento, criação, produção, organização e execução

– mais de 500 horas de reuniões com o cliente

– produção de mais de 300.000 peças gráficas

– organização dos mais de 67mil m² de exposição, abrangendo os 4 pavilhões do Expo Center Norte

Resultado

– INSCRITOS NO EVENTO: 71.931

– CONGRESSISTAS: 4.078 (RECORD DE TODAS AS EDIÇÕES)

– EXPOSITORES: 738, sendo 200 internacionais de 19 países

– CONEXÃO DE NEGÓCIOS: 252 reuniões com 137 expositores e 49 compradores

– REUNIÕES APEX: 1423, com 185 empresas, 50 compradores e 23 países

– NEGÓCIOS APEX: US$ 100.000.000

Com essa edição da APAS Show, a Promovisão consolida mais uma entrega de sucesso, com o sentimento interno de orgulho e satisfação de toda a equipe por cumprir com excelência seu papel de guardiã da marca desde 1993.

Movimentação APAS Show 2018

Movimentação APAS Show 2018

Nos veremos na APAS Show 2019!

EVENTOS. Oportunidades para quem sabe se preparar.

EVENTOS. Oportunidades para quem sabe se preparar.

Entre as principais oportunidades que os eventos oferecem às empresas está a possibilidade de estreitar laços com clientes, fornecedores e prospects, além de outros públicos como a imprensa, por exemplo. Além disso, geram alto engajamento entre funcionários, pois criam um ambiente muito favorável para promover trocas de conhecimento, treinamentos, networking ou o lançamento de um produto ou serviço.

Podemos dividir os eventos em dois grandes eixos: eventos patrocinados e eventos proprietários, neste artigo vamos abordar um pouco sobre as características dos eventos patrocinados.

Quando falamos de eventos patrocinados, os principais modelos praticados no mercado são: feiras, exposições, shows, festivais, congressos, fóruns, eventos esportivos, simpósios, painéis, entre outros. Geralmente, esses eventos são realizados por associações, instituições de ensino, organizações governamentais etc.

As empresas podem participar, como patrocinadores ou apoiadores do evento, adquirindo cotas que dão o direito de expor as suas marcas nos materiais de divulgação do encontro como, por exemplo, cartazes, convites, materiais de sinalização, hotsite, vídeos, entre outros. Além disso, dependendo do tipo de cota, as empresas podem ter um espaço reservado para a montagem de um estande ou um display de comunicação para divulgar as suas marcas, os seus produtos ou os seus serviços. Além disso, é possível também patrocinar as palestras, o coquetel, as atrações ou até mesmo desenvolver algum tipo de ativação para inserir na agenda do encontro.

De acordo com o último estudo da AMPRO, o setor de Live Marketing movimentou
no último ano mais de 40 bilhões no Brasil. Dentre todas as ações listadas na pesquisa as
três mais utilizadas foram: Eventos, Feiras e Congressos.

Para se ter uma ideia do tamanho deste mercado, em agosto de 2017, a SPTuris, em parceria com o São Paulo Convention & Visitors Bureau, lançou um dossiê que apontou que apenas as Feiras de Negócios movimentam mais de R$ 16 bilhões na cidade de São Paulo.

São diversos os tipos de participação em eventos patrocinados, mas qual será o formato de evento ideal para o seu negócio? Para descobrir isso é necessário refletir sobre alguns pontos que a primeira vista parecem ser básicos mas que muitas empresas acabam por subestimá-los:

Qual é o seu objetivo primário?

Existem vários objetivos que norteiam a sua estratégia para os eventos como, por exemplo, o aumento de market share, o lançamento de um produto, a conexão com o público consumidor, o engajamento dos funcionários, a geração de oportunidades de negócios, o relacionamento com a mídia, entre outros. Não dá para atingir todos. Seja realista. Eleja o principal, de acordo com o seu plano de marketing e as suas metas, para ver em quais tipos, dentro do calendário do segmento no qual a sua empresa atua, têm maior afinidade. Você perceberá que isso será um filtro muito simples, mas também muito útil, na hora de selecionar as oportunidade que esse mercado oferece.

Qual é o seu público?

Conhecer bem o seu público e a aderência que ele tem com um possível evento para investir é fundamental. Como toda ação efetiva de marketing, as ações de live marketing começam com uma profunda pesquisa sobre o seu público. Muito mais do que o perfil demográfico e econômico, estamos falando de hábitos de consumo, gostos musicais, hobbies, causas apoiadas e muito mais. Quanto mais você conhecer, menor a sua chance de errar no modelo do seu evento. Isso inclui fazer uma pesquisa qualitativa, com os participantes dos últimos eventos que a sua empresa realizou, para que eles dividam com você as impressões que tiveram, sem filtros. Pergunte o que fazer para melhorar. Construir um evento em formato colaborativo tem se mostrado algo que realmente funciona. Entregue o que eles estão pedindo.

Quais são os seus recursos?

Dependendo do tipo de evento existem diversos graus de participação como patrocinador desde um simples banner até uma cota master. Em ambos os casos considere na elaboração do seu budget um checklist completo para auxiliá-lo a ter uma visão mais ampla de todo o investimento necessário. Geralmente alguns custos não são considerados inicialmente, e isso pode afetar na hora da realização. Leve em consideração, no caso de participações maiores, investimentos como, por exemplo, locação do espaço, valores das cotas de patrocínio, equipe (produtor, recepcionista, fotógrafo etc.), produção de materiais de comunicação (flyers, banners, placas de sinalização), logística, montagem, desmontagem, honorários de criação e acompanhamento da agência e demais serviços. Joga na planilha e enxergue a vida como ela realmente é.

Qual o histórico em participação de eventos desse tipo?

Sua empresa já participou de eventos desse tipo? Quais os resultados tangíveis foram obtidos? Como foi a exposição da sua marca? E a repercussão para os seus públicos de interesse? Quais foram os aprendizados? Vocês só conseguirá fazer algo melhor no futuro, se estiver muito claro onde a sua empresa está hoje nesse tipo de estratégia. Ser honesto a ponto de levantar a mão e dizer que esse formato que vem fazendo não dá mais certo é o primeiro passo para construir um novo que irá trazer resultados reais. Não cabe mais na economia atual participar apenas por costume. O que eu estou indo fazer lá? deve ser sua pergunta-âncora, as repostas irão traçar as novas estratégias para alcançar seus objetivos. Se não estiver claro da resposta encontre outro lugar para ir, pois aquele já não te serve mais.

Como é o relacionamento do marketing e do comercial da sua empresa?

O sucesso para a participação de eventos está no alinhamento entre marketing e vendas, principalmente quando estamos falando de eventos com foco em geração de negócios e de marketing de relacionamento. Eventos de longa duração como, por exemplo, feiras e congressos, que podem durar cinco dias, podem ser desgastantes físico e emocionalmente, e o seu time precisa estar unido para superar isso. Eles estão engajados para esse momento? Caso a resposta seja negativa, pensar em alguma ação pré-evento, para estreitar o relacionamento e conseguir integração das áreas e alinhar as expectativas, é o melhor caminho para aumentar as chances de sucesso do seu time. D.R. é o tipo de coisa para ser feito em casa.

Onde os seus concorrentes estão?

Quais tipos de eventos eles investem? Qual o local da planta que eles costumam expor? Quais que são realmente importantes você demarcar o seu território? Não tem como você ir para o campo de batalha sem descobrir antes se você estará em uma colina ou em um vale. Saber sua posição na área pode ser a diferença entre a derrota e a vitória quando o que se disputa é a atenção dos mesmos público. Se você não tiver essa expertise para descobrir onde são as áreas nobres, de uma planta de feira, por exemplo, encontre um parceiro que possa auxiliar você nisso. Acredite, estar no lugar certo faz toda a diferença.

Em uma competição a vitória começa bem antes da largada. No caso de um evento é a mesma coisa, o sucesso começa bem antes de ser enviado o primeiro convite. Em ambos os casos, o planejamento e a estratégia são essenciais. Invista neles para aproveitar as oportunidades que o mercado oferece.

No próximo artigo, vou falar um pouco sobre planejamento e estratégia para eventos proprietários. Bom evento!

Rodrigo Volponi – Diretor Comercial

Estandes: transformando espaços em desejos

Estandes: transformando espaços em desejos

Explorar cores e formas, transformar um lugar vazio em uma experiência única. Produzir um estande é como pintar uma tela em branco, é dar vida a um espaço e torná-lo um local diferenciado para que o visitante possa aprimorar seu conhecimento e desejo em relação à marca.

É uma tarefa que demanda muito planejamento e uma pitada grande de criatividade, uma vez que envolve instigar, se aproximar e levar para o público-alvo algo que ele deseje – e até mesmo que ultrapasse suas expectativas. O estande também é a continuidade da marca e precisa representar todos os atributos dela. É necessária toda uma equipe engajada no projeto, pensando em cada detalhe, em cada pedacinho daquele ambiente. É isso que diferencia uma agência como a Promovisão. Mais do que produzir um estande, nós oferecemos uma consultoria de inteligência de mercado completa, visando sempre potencializar os resultados dos clientes.

Para isso, é extremamente importante entender que cada empresa tem sua característica e razão de existir, comunicando-se de modo particular com o público. Expor a marca também depende da intenção do cliente naquele momento. O desejo é divulgar um produto novo? É produzir um espaço temático? É passar conteúdo? É exclusivamente fechar negócios? Mostrar seu posicionamento no mercado?

As estratégias devem ser pensadas de acordo com essas necessidades, sempre com o objetivo de superar os resultados esperados pelo cliente com a ação. Feiras de negócios são uma excelente opção para promover visibilidade à marca, apresentar portfólio de produtos e serviços aos visitantes, e, é claro, de encontrar os clientes atuais estreitando o relacionamento, e conquistar novos.

Além de um estande que tenha a “cara da empresa”, há ações que ajudam a atrair o público, como workshops, entrega de brindes, games que gerem interação com a marca, garantindo que ela seja lembrada de forma positiva e aumentando a propaganda boca a boca. Ações de marketing digital aliadas com as ações de live marketing também ajudam a trazer mais clientes para seu estande.
Dar vida a um estande e adequá-lo à marca não é tarefa simples. São dias, semanas de trabalho árduo e muito planejamento, é mergulhar naquele universo para poder conhecer muito bem o produto que queremos vender. Mas é igualmente gratificante poder ver essa transformação e saber que aquele espaço irá trazer resultados positivos para a empresa, que todas as estratégias desenvolvidas e todos os detalhes expostos satisfizeram a expectativa do cliente. Isso com certeza será refletido no desejo pela marca para além da feira, do evento e, claro, para além do nosso estande.

Fabricia Botelho é sócia e VP de operações da Promovisão

Jornada do visitante: como estar na rota dos participantes de eventos corporativos

Jornada do visitante: como estar na rota dos participantes de eventos corporativos

Quem participa de eventos corporativos, com destaque para as feiras, tem um propósito dentro dessas exposições: fazer negócios, conhecer as novidades do setor, conhecer novos produtos ou realizar networking. Seja o que for, o objetivo principal é traçado antes mesmo da visita.

A jornada do visitante é basicamente a rota que ele planeja, estandes que pretende conferir e informações que deseja absorver. Cabe, então, à empresa entender o que esse potencial cliente ou parceiro quer e conseguir oferecer esse serviço ou produto.

Por isso, é fundamental ter um espaço dentro dos eventos corporativos adequado e planejado de acordo com seu público. A estrutura é importantíssima nesse esforço de atrair a atenção. É preciso analisar se vale ter salas de reuniões, por exemplo, ou se é mais interessante promover a exposição do produto com ações de ativação ou até mesmo algum tipo de interação. A expertise e a inteligência de quem planeja essas feiras são extremamente relevantes para alcançar o resultado esperado. Os investimentos na compra da área, construção do estande, operação, deslocamento de equipes geralmente é grande e por isto devem ser muito bem planejados para se obter o máximo retorno possível.

É um grande desafio garantir que o visitante passe pelo seu estande. A produção do seu espaço na feira deve ser atraente e oferecer algum diferencial, especialmente em eventos corporativos muito grandes, onde transitam milhares de pessoas por dia.

A localização estratégica é uma das soluções para ganhar visibilidade durante a jornada do visitante. Mapas com a posição do estande e referências dentro do evento são essenciais. Além disso, existem outras ferramentas disponíveis no mercado que já estão sendo utilizadas há alguns anos: os aplicativos. Eles podem indicar a posição de onde sua marca está localizada e também ajudam no fornecimento de informações para atrair a atenção dos participantes, que, por sua vez, se sentem provocados a conhecer o que está sendo oferecido.

Outro recurso utilizado em feiras é o matchmaking, ferramenta que conecta os visitantes aos expositores. Com ele, é possível agendar reuniões e conversas de modo a otimizar o tempo de ambos, criando um roteiro de horários sem desencontros. Muitos negócios são iniciados dessa forma, gerando importantes resultados às empresas. Cada vez mais, pessoas com poder de decisão vão às feiras exclusivamente para fazer negócios, com uma genda pré-definida e não admitem atrasos e despreparo por parte das empresas. Por isto é muito importante que os expositores estejam preparados para receber visitantes com este propósito.

Para quem planeja os eventos corporativos, também é necessário levar em conta a busca por conhecimento. Os visitantes querem descobrir novas ferramentas, fazer novas conexões e se atualizar. Por isso, os eventos devem oferecer painéis temáticos com palestras, debates e seminários. Convidados gabaritados, com relevância no mercado, atraem o público. Fazer uma criteriosa seleção de palestrantes e uma curadoria aprofundada de conteúdo já é meio caminho andado.

Ao fazer uma analogia com as feiras de rua, nós podemos dizer que esses eventos corporativos são exposições competitivas nas quais todo mundo quer vender seu peixe. Mas nesse caso, vence quem grita mais alto ou quem oferece o melhor produto, mais atrativo e diferenciado? A busca pela inovação e as estratégias de venda vão contar muitos pontos para conquistar novos visitantes e potenciais clientes para a sua marca.

Fabrícia Botelho é Sócia e VP de Operações da Promovisão